Discutindo narrativas georeferenciadas


smIMG_20141014_173731

Na tarde do dia 14 começamos a falar sobre narrativas georeferenciadas (e todos os nomes equivalentes/próximos). Vanessa Santos começou falando de como a experiência do expectador passou de um espaço físico fechado como as salas de cinema para o mundo móvel e depois falou um pouco do projeto Chronica Mobilis em si.

smIMG_20141014_173701

Depois foi a vez de Karla Brunet contar algumas experiências no mundo de narrativas georefenciadas, como o filme Nine Lives e um projeto desenvolvido por ela em Salvador sobre mapas e mares.

Depois foi a minha vez de falar de narrativas, como a história se moldou à mecânica do Chronica Mobilis e vice-versa e os mecanismos usados para fazer jogadores e espectadores entrar de cabeça no cenário.

Em seguida foi a vez de Pixel mostrar todas as tecnologias que estão sendo usadas ou desenvolvidas no projeto e como tudo vai funcionar em conjunto.

Depois de um bocado de perguntas a noite já havia caído em Barcelona, mas ainda iria começar a segunda parte da oficina: um teste prático de tudo isso (no próximo post).