História


Chronica Mobilis é um projeto que integra pesquisa e criação artística. Por ter esse carácter, além da apresentação de uma performance interativa com dinâmica de jogo, programa-se também a realização de uma residência artística e de uma jornada de atividades que incluem debate, práticas, e desconstrução da obra. Tudo isso para facilitar a troca de conhecimento sobre o assunto entre artistas e pesquisadores do Brasil e da Espanha.

O projeto foi idealizao pela investigadora Vanessa Santos juntamente com o artista Vj Pixel.

Vanessa Santos realiza uma pesquisa de doutorado intitulada “La movilidad y los cambios narrativos en la era de la ubicuidad”, na Universidade Pompeu Fabra, sob direção de Roc Parés i Burguès e cotutoria de Karla Brunet. Interessa-se pelo uso criativo das tecnologias geolocativas e seu estimulo na criação de novos gêneros narrativos. A performance serve-lhe de objeto para o pela análise da experiência interativa da audiencia em em resposta a diferentes estratégias de participação.

Vj Pixel tem larga atuação no campo da arte audiovisual interativa. Vem trabalhando atualmente com o tema das narrativas interativas com dinâmica de jogos. Desenvolveu o projeto de narrativa georefenciada chamado Narrative Navigation com o artista holandês Sander Veenhof.

Vários artistas e pesquisadores aderiram ao projeto ao longo do tempo, depois de uma chamada pública destinada aos interessados em contribuir com o processo. A performance passou a ser, então, criada de forma colaborativa e influenciada pelo conhecimento e pelas idéias trazidas por cada um que passou a formar parte da equipe.

O desenvolvimento do projeto foi feito essencialmente de forma remota, já que ao final foram reunidos no grupo profissionais de diferentes partes do mundo. O processo de colaboração para o desenho da performance acontecerá também de forma presencial, durante uma residência artística de seis semanas no Hangar, Barcelona, de 6 de Outubro a 18 de Novembro de 2014. A residência tem um caráter intensivo e interdisciplinario e abarca atividades técnicas e de criação artística. Durante o período da residência, os artistas e investigadores estão trabalhando principalmente no desenvolvimento dos softwares que dão suporte à performance. 

Importantes colaborações institucionais ao projeto também vêm do centro da produção artística Hangar, no marco de colaboração com o Máster Universitário en Artes Digitales, Universidad Pompeu Fabra. Hangar apoiou e incentivou o processo desde o início. A residência se tornou possível com a ajuda do programa de Mobilidade Artística e Cultural da Secretaria de Cultura do Governo da Bahia – Brasil.

A performance será primeiramente apresentada em Barcelona, ​​em 25 de outubro de 2014, no Hangar. Em 2015, estão programadas apresentações no Brasil, nas cidades de Salvador e São Paulo. Atividades para compartilhar conhecimentos sobre os novos formatos narrativos georreferenciadas utilizando tecnologia móvel ocorrerá sempre antes de cada apresentação da performance.